segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Grande esforço em ordem à presença da UCM em Lichinga

1. Encontro entre a Delegação da UCM e a delegação da Diocese

A Universidade Católica de Moçambique (UCM) está a fazer um grande esforço para se tornar presente em Lichinga. Para sermos mais justos, deveremos dizer que este sempre foi um desejo do bispo de Lichinga, D. Élio Greselin.
Assim, no dia 16 de Dezembro de 2011 realizou-se uma reunião histórica em ordem à implantação da UCM aqui em Lichinga, na continuidade de outras anteriores.

A delegação da universidade era composta pelo vice-reitor Vilanculos, também director da faculdade de educação e comunicação de Nampula, pelo responsável da zona norte 3 (inclui Niassa, Nampula e Cabo Delgado) e director da Faculdade de Direito de Nampula (P. Fernão), pelo Dr. Alfândega, da Faculdade de Economia e Gestão da Beira. De Cuamba estavam presentes: o Eng. Nduna, o Dr. Filipe, o jurista Ruben Henrique e o decano da faculdade de agricultura de Cuamba (288 alunos), (Eng. José).
A delegação da Diocese era encabeçada pelo bispo da Diocese (D. Élio Greselin), pelo vigário geral, pároco da catedral e membro da comissão instaladora (P. Joaquim), pela directora do Centro Polivalente (Ir. Vitória), pela administradora da diocese e membro da comissão instaladora (Ir. Delvina), pelo Director Geral do ESAM e membro da Comissão Instaladora (Dr. Francis), e por mim (Adérito Gomes Barbosa), como convidado em ordem a apoios futuros de Portugal, sobretudo ao nível da biblioteca.

Durante toda a manhã, foram analisados pontos em ordem à abertura da UCM, já em Fevereiro ou Março de 2012 aqui em Lichinga quer ao nível de instalações, quer ao nível de organização dos diversos cursos, tendo como estimativa a inscrição de 150 alunos.
Os cursos que hão-de funcionar serão uma extensão da Faculdade de Agricultura de Cuamba.
Assim, ficou determinado que a UCM em Lichinga arrancasse com três cursos:
- Administração Pública
- Direito
- Contabilidade, gestão e comércio.


2. Frases soltas da reunião
- Não podemos apertar o pescoço à faculdade, mas devemos ver o que se pode fazer.
- Tudo começou como acordo entre irmãos.
- Reembolso? Empréstimo? Renda? É tudo a mesma coisa?
- É mais um pensamento a menos.
- Milímetro por milímetro. Colocamos gotas de dinheiro.
- A presença da UCM pode oferecer mais clientela para o comércio em Lichinga.
- Alugar entre irmãos.
- Quem fica mal na fotografia?
- Não quero perder a universidade por causa do dinheiro (bispo).
- O zero nunca foi mínimo (Francis)
- É preciso idoneidade e competência (Fernão).
- A universidade sempre foi o sonho do bispo.
- Quando o filho nasce, a mãe deve pensar nele no primeiro mês (bispo).
- Quando o filho está a crescer, não pode ser abandonado na estrada (bispo).
- A diocese é uma mãe com muitos filhos. Deve alimentar todos. Não se pode deixar morrer nenhum (vigário geral).
- É a primeira vez que nasce esta criança.
- Não começar cursos com pessoas cochas.



3. Fim
E assim terminou a reunião, sem intervalo, desde as 8.30h da manhã até às 13.30h nesta cidade de Lichinga, cujo nome indica curral, por estar rodeado de montanhas, cidade encurralada que tenta abrir-se cada vez mais à cultura.



Adérito Gomes Barbosa, scj
Lichinga, 16 de Dezembro de 2011

Sem comentários:

Publicar um comentário