segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Saudações de Nampula-Lichinga


Caríssimos membros e amigos ALVD

Saudações de Nampula-Lichinga

A vosso pedido segue uma pequena mensagem para o Natal 2014

No dia 21 de dezembro de 2014, dia da minha ordenação sacerdotal, já lá vão 34 anos, tive a graça de estar com uma equipa de casais de Nossa Senhora e com o grupo de jovens de Santa Bahkita no Mosteiro aqui em Lichinga que muitos de vós conhecem. Foi uma forma simples, profunda de viver celebrativamente este dia muito significativo para mim que alguns de vós tiveram a gentileza de me saudar por email, facebook e telefone.


Entre outros motivos de trabalho que me levaram a voar para esta terra que teima a começar a chover, queria estar com o nosso voluntário ALVD Paulo Lima que estará aqui por um ano e fazer uma avaliação da nossa intervenção aqui em Lichinga, assim como levar propostas para os grupos que se preparam em Portugal.

Entre as fotos que vos envio, seguem também algumas da capela de S. Paulo em Napipine, Nampula, onde as pessoas fazem tijolos em casa e vão trazendo para a capela para a reconstrução da capela que está a cair. Quem sabe se alguns daí também não podem enviar alguns tijolos que eu poderei trazer no fim de janeiro, após uma viagem relâmpago a Portugal.








Pe Adérito Barbosa

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Estive em África, estive em Lichinga!

África, fascínio de cores, aromas, sabores e matizes. Quem lá vai não lhe resiste…deixa-se conquistar e volta diferente porque é impositiva a simbiose do calor charmoso das suas gentes, dos seus sorrisos, dos seus abraços, dos seus ritmos e das suas danças!

África, terra da cor do sangue, transfigura-nos e rasga-nos o coração, ficamos divididos! Estive em África! Tenho saudades!

Mas a vida é madrasta! E agora é mais frequente a lembrança de que ali morre uma criança em cada vinte segundos que passam!

Irene Lima


terça-feira, 9 de dezembro de 2014

PROGRAMA DE ATIVIDADES/FORMAÇÃO ALVD Porto



Aqui fica o programa de formação com as datas dos encontros para este ano, incluindo dois encontros Internacionais que serão comuns a todos os voluntários Dehonianos a nível nacional e de Itália e Espanha.


- 6 Dezembro:
Formação ALVD – 10h às 13h – Local: Companhia Missionária (Rua Miguel Bombarda, 211 – Porto)
- 31 Janeiro:
Formação ALVD – Encontro Internacional – das 10h às 20h – Local: Centro Espiritualidade Betânia (Travessa de Palhais, 114 – Duas Igrejas Paredes)
- 14 e 15 de Março:
Formação com a JD e tarde Dehoniana – Local: Centro Espiritualidade Betânia (Travessa de Palhais, 114 – Duas Igrejas Paredes)
- 11 Abril
Formação ALVD – 10h às 13h – Local: Centro Dehoniano (Avenida da Boavista, 2423 – Porto)
- 1 a 3 Maio
Formação ALVD – Encontro Internacional em Salamanca (Espanha)
- 6 e 7 de Junho
Encontro Nacional ALVD e Peregrinação Dehoniana – Local: Fátima
- 18 Julho
Passeio  da Juventude Dehoniana e da ALVD a Santiago de Compostela

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

FORMAÇÃO DE VOLUNTARIADO NOV. 2014 • ALVD LISBOA

No domingo, dia 23, decorreu mais uma formação dos Voluntários da ALVD de Lisboa, como fora anunciado.

Para além dos voluntários interessados em fazer a formação este ano, contámos ainda com a presença da Andreia que esteve em Agosto em missão em Angola.


O nosso dia começou às 9.30 com uma oração orientada pela Joana, com um leitura do livro do Géneses.
Após a oração, o padre Manuel Barbosa refletiu com o grupo sobre a Missão da Igreja, a partir do texto “FAZER EXPERIÊNCIA DE COMUNHÃO ECLESIAL NA SENDA DO PADRE DEHON” que foi de grande interesse para todo o grupo. Realçou alguns dos aspetos a termos presentes no ser Igreja a partir do Padre Dehon: igreja comunhão e povo de Deus; Igreja gerada no Coração de Jesus; Igreja que vive da Eucaristia; Igreja centrada na Palavra de Deus; Igreja empenhada no mundo social; Igreja missionária, geradora de missão; Igreja promotora da formação de leigos, religiosos e sacerdotes; Igreja no carisma da vida religiosa; Igreja renovada e renovadora. Foi entregue uma cópia deste texto a cada um dos voluntários para aprofundarmos a reflexão.



Antes do intervalo tivemos um momento de apresentação, orientado pela Linda, que ao longo deste dia de formação, animou o nosso trabalho com algumas dinâmicas que contribuem para o aperfeiçoamento da relação entre todos.


O almoço foi partilhado e como sempre momento de descontração e convívio.
A parte da tarde iniciou com a apresentação feita pela Mª Helena, da vida do padre Leão Dehon: Biografia, vocação, carisma e a sua missão na Igreja. Acima de tudo o testemunho de uma mensagem em tudo actual e dos nosso dias.

A Linda orientou-nos através de mais uma animada dinâmica, que só o espirito de trabalho em equipa e muita preserverança nos permitiram concluir.


E antes de terminar o encontro a Joana apresentou a Carta de Responsabilidades do Voluntário, esclarecendo algumas dúvidas.

A Missa, celebrada pelo Pe David Mieiro, no dia em que se celebrava o Cristo Rei, foi ainda enriquecida pela presença Pe Domigos, missionário Dehoniano em Angola e que aí recebeu os voluntários de Grupo Missão Angola.

 

O encontro terminou com um lanche e momento de convívio aproveitando a presença do Pe Domingos e a companhia do Pe Paulo Coelho.

Como não está marcado mais nenhum encontro de formação antes do final do ano, o grupo de Póvoa de Santa Iria convidou-nos para a festa de Natal da sua paróquia a realizar no dia 12 ao final do dia.

Mas antes disso, vemo-nos no próximo domingo, dia 30, na Ordenação Diaconal do Igor e do Jorge que terão lugar pelas 15.30 no Mosteiro dos Jerónimos.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

FORMAÇÃO DA ALVD NO PORTO, dia 15 de Nov.

A ALVD Porto iniciará mais um ano de formação para aqueles que desejem fazer uma experiência de voluntariado missionário.

Se já pensaste em fazer uma experiência de voluntariado missionário e ainda não conheces a ALVD (Associação Leigos Voluntários Dehonianos) eis a oportunidade.

Este primeiro encontro de formação será para partilhar algumas das experiências de missão que aconteceram este verão (testemunhos de voluntários que estiveram em Angola) e também para programar o itinerário da formação para este ano.


Não podes faltar... e se conheces alguém que esteja interessado não hesites em trazê-lo.
Este escontro terá lugar no dia 15 de novembro, no Centro Espiritualidade Betânia (travessa de Palhais, 114 - Duas Igrejas PRD), tendo início às 10h e concluindo com o almoço partilhado.

Pe. Juan

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A IRMÃ Mª JOSÉ POR LISBOA E MAIS UMA VOLUNTÁRIA PARA LICHINGA

A Irmã Maria José, teresiana que acolhe e coordena localmente os voluntários da ALVD em Lichinga, esteve durante o mês de Outubro em Portugal.

Antes do regresso a Moçambique passou um dia em Lisboa onde aproveitou para rever antigos voluntários e amigos e para uma reunião com alguns elementos da ALVD.


Durante um simpático almoço por entre muita conversa e recordações de missão fez-se um balanço das últimas intervenções incluindo as que estão em curso e abordou-se a intervenção dos próximos voluntários.

Também presente neste encontro esteve a Irene Lima que, além de ser a mãe do nosso voluntário Paulo que está em missão de um ano em Lichinga, seguiu viagem esta sexta-feira para Moçambique, na companhia da Irmã Mª José, para por lá ficar por um mês também em trabalho de voluntariado.


Antes de partirem, ainda houve tempo para uma deslocação à Creche Casinha de Nossa Senhora, em Belém, que disponibilizou mais dois sacos de brinquedos didáticos para as Escolinhas do Niassa. A Luisa estava à nossa espera para rever a Irmã Mª José e fez-nos uma visita guiada a esta creche onde a solidariedade está sempre presente através de várias iniciativas. Todos este material, assim como o que já nos havia sido entregue, seguirá no próximo contentor para o Niassa.

Foi de manhã bem cedo que a Irmã Mª José e a Irene seguiram rumo a Maputo, para depois seguirem para o Niassa.

Desejamos uma boa viagem e ficamos a aguardar notícias

Paula Franco

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Testemunho de 3 meses de voluntariado em Lichinga

Mais um mês passou desde que cá estou, fazendo 3 meses agora neste mês de Novembro.


O mês de Outubro foi marcado cá em Moçambique pelas eleições, eleições estas muito diferentes das nossas Europeias.

Tivemos a graça de receber na casa da Diocese dois observadores eleitorais que, à mesa, nos punham a par do decorrer do processo eleitoral.


Este mês, como todos os outros, foi marcado por muitas graças e felicidade.


Continuo na organização da biblioteca da Diocese e comecei a dar apoio a Inglês a algumas meninas que vivem na casa das irmãs Diocesanas e das Teresianas, que no mês de Novembro têm exame Nacional.

Elaborei um livro de testemunho e agradecimento desta casa da Diocese onde cada visitante e voluntário tem a oportunidade de partilhar tudo que de bom cá passou, servindo também de apoio a todo o futuro missionário que por aqui passar, pois terá a possibilidade de ver e ler todo o trabalho e toda a alegria passada nesta casa através do testemunho de outras pessoas. Também tenho colaborado nos preparativos para o final de ano da Escolinha Eugénio Menegon, onde ensaiámos músicas e danças para apresentar aos pais e professores neste mês de Novembro.


O tempo passa a voar mas tenho vindo a guardar cada um destes momentos, muito especiais e concretizantes para mim. Espero terminar esta missão duma forma positiva e ser motivo de orgulho para todos aqueles que me acompanham e me apoiam seja de longe ou de perto e que me transmitem felicidade a cada dia que passa.

Paulo Lima

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

FORMAÇÃO DE VOLUNTARIADO OUTUBRO 2014

A nossa primeira sessão de formação foi essencialmente uma sessão de apresentação.
Participaram seis novos candidatos, todo o grupo dinamizador de Lisboa, duas voluntárias que anteriormente intervieram em projectos na diocese de Lichinga e o padre Luciano Vieira.
Fez-se o acolhimento aos interessados no voluntariado da ALVD, a apresentação da nossa associação e da equipa de formação.

A Milu apresentou o tema do Voluntariado, desde as características e motivações, à legislação que regulamenta as partes envolvidas nesta actividade.
 Depois de um breve intervalo fez-se a apresentação da equipa de formação.


A Joana apresentou a ALDV: a sua  história, os seus objectivos, o campo de acção e a espiritualidade Dehoniana que  desde o primeiro momento integra o projecto anual  de formação dos voluntários.
Todos os presentes receberam uma pasta com o programa de formação e as respectivas datas, a carta de responsabilidades do voluntário da ALVD e um texto do Pe Dehon.




O almoço partilhado, foi momento para retemperar as forças, mas também de troca de experiências e de histórias de missão  antecedendo o programa da tarde.

A tarde das Missões, coordenada pelo Pe Paulo Coelho, começou pelas 15h com a presença de vários grupos da família Dehoniana e de várias paróquias.



O Pe Manuel Barbosa, que foi também responsável pela animação musical, apresentou a Mensagem do Papa para Dia Mundial das Missões destacando a importância dada pelo Papa à natureza missionária da Igreja": “a Igreja nasceu «em saída».

 “Não nos deixemos roubar a alegria da evangelização!”
E o exemplo de Maria como “modelo de uma evangelização humilde e jubilosa, elevemos a nossa oração, para que a Igreja se torne uma casa para muitos, uma mãe para todos os povos e possibilite o nascimento de um mundo novo.”

Após referir a importância dos leigos neste desafio, finalizou a sua apresentação com algumas frases do Pe Dehon bem representativas deste espírito missionário, não sem antes nos interpelar: E TU O QUE FAZES ?

Seguiram-se alguns testemunhos de missão:
Do Delfino que, após uma experiência como voluntário da ALVD em Moçambique, no Alto Molòcué e no Gurué em 2007, ingressou na vida religiosa e esteve, agora como Missionário Dehoniano, em Viana e no Luau (Angola). E foi com emoção que nos falou do seu trabalho junto dessas comunidades e da alegria de ver desenvolverem-se as obras de recuperação da Igreja de Santa Teresinha no Luau, para a qual tantos amigos da familia Dehoniana contribuiram, e que foi, precisamente nesse dia 19, inaugurada.
Aos que, em Angola, o receberam impressiona sempre o despojamento e a dádiva dos missionários que chegam de tão longe para partilhar a Fé.
A pedido do Pe Paulo deixou-nos as palavras dessas comunidades Cristãs: Obrigado e, o tão caracteristicamente africano: “Estamos Juntos”…na Fé, na Missão, na Alegria.

Ouvimos de seguida o testemunho da Regina do Grupo Missionário Dehoniano de Queijas que explicou o que faz este grupo de rectaguarda dos missionários: oração e acções de partilha. Espalhar a Alegria do Evangelho faz-se sabendo ouvir, sorrindo e dando uma palavra de conforto, pondo de parte os nosso próprios problemas.

Seguiu-se a ALVD:
O primeiro testemunho foi da Mª Helena, uma das primeiras voluntárias da ALVD que, no ano 2000, deram início aos projectos de intervenção em Moçambique. Destacou o caracter leigo e voluntário dos membros desta associação de apoio Humanitário e Desenvolvimento Comunitário em espírito de missão, vinculada à Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus.
Apresentou a actividade, ao longo destes 14 anos, com 229 voluntários enviados em missão ad gentes, para Moçambique  e para Angola, tendo 57 permanecido por um ou mais anos e 172 por um mês.
Seguiu-se o testemunho do Grupo Missão Angola 2014, de que foram porta-voz a Andreia e o  Emanuel que partilharam connosco as suas motivações, a alegria que foi viver esta missão e a sua gratidão para com os que os receberam e os que por cá possibilitaram a sua missão.

O ponto alto desta tarde foi a Eucaristia concelebrada pelo Pe Manuel Barbosa, pelo Pe Saturnino e pelo Pe Paulo Coelho. E foi com muita alegria, como nos pede o Papa Francisco, que vários elementos da JD animaram esta celebração.

Após a eucaristia, houve oportunidade para o convívio entre todas as pessoas presentes, durante o lanche/ajantarado que o Seminário de Alfragide, com a sua habitual hospitalidade, nos ofereceu.

O nosso obrigado a todos os que participaram neste dia e ESTAMOS JUNTOS nesta alegria de viver e partilhar a nossa FÉ.

A próxima formação da ALVD será no dia 23 Novembro 2014:  Acolhimento/ Apresentação, estando previstos como temas principais: a Missão da Igreja (Alegria do Evangelho) e a Espiritualidade Dehoniana.

escrito conforme  a norma ortográfica anterior ao acordo

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

CONVITE PARA A TARDE DAS MISSÕES

No próximo domingo, 19 de Outubro,  celebra-se o Dia Mundial das Missões.


A ALVD convida todos os seus amigos a participarem na tarde missionária que se realiza no Seminário de Nossa Senhora de Fátima, em Alfragide, com início pelas 15.00.

Será uma tarde de convívio e partilha com a leitura da Mensagem do Papa e o testemunho de missionários e voluntários nomeadamente de voluntários da ALVD do Grupo Missão Angola 2014.

No dia 16 de Outubro, às 21.000 realiza-se uma Vigília de Oração pelas Missões, para a qual também estais todos convidados.

Lembramos que é também no domingo, dia 19, que se re-inicia a Formação para o Voluntariado Leigo Dehoniano, pelo que todos os interessados no voluntariado além fronteiras deverão comparecer no Seminário de Nª Srª de Fátima pelas 9.30 para a sessão de apresentação.

( http://alvd2010-2020.blogspot.pt/2014/10/formacao-de-voluntariado-leigo.html )

Ficamos à espera do vos ver ou re-ver nesse dia



ALVD • Lisboa

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

FORMAÇÃO DE VOLUNTARIADO LEIGO DEHONIANO 2015

19 de OUTUBRO • SEMINÁRIO DE Nª SRª DE FÁTIMA • ALFRAGIDE


A formação para o Voluntariado Leigo Dehoniano vai recomeçar já no mês de Outubro, após o período de férias em que alguns partiram em missão.

Em Lisboa, o dia das Missões é o pretexto para esse recomeço de formação.
Domingo, dia 19 de Outubro, no Seminário de Nª Srª de Fátima em Alfragide, das 9.30 às 18.00, terá lugar a sessão inicial de apresentação pela manhã e, da parte da tarde, participação na celebração do Dia das Missões com testemunhos dos voluntários de 2014.

Esta sessão é aberta a todos os que já iniciaram a sua formação e a todos os interessados em integrar o voluntariado da ALVD.

ALVD • Lisboa

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

ALVD MADEIRA - FIM DE SEMANA DE RETIRO, 4/5 Outubro



No fim de semana de 4 e 5 de Outubro, na Madeira terá lugar um retiro para reflexão sobre o Evangelii gaudium.

Evangelii gaudium é a primeira Exortação Apostólica Pós-Sinodal escrita pelo Papa Francisco, e foi publicada no encerramento do Ano da Fé, dia 24 de novembro do ano de 2013, cujo tema principal é o anúncio missionário do Evangelho e sua relação com a alegria cristã.

Para refletirmos sobre esta exortação convidamos todos os interessados para este retiro sob a orientação do pe. Leandro Garcês, scj.

Esta formação é essencial e obrigatória para aqueles que pretendem fazer uma experiência de missão e estão numa fase de formação.

Para mais informação contactar a ALVD Madeira.


quinta-feira, 2 de outubro de 2014

REUNIÃO DE PREPARAÇÃO DA FORMAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS DA ALVD LISBOA

Este domingo, dia 28, teve lugar a reunião de preparação da Formação de Voluntariado Leigo Dehoniano.

Com a presença do Pe Manuel Barbosa, o núcleo de Lisboa reuniu-se para fazer um balanço das missões deste mês de Agosto, em Angola e em Moçambique e para ultimar os preparativos para a formação deste ano.


O calendário da formaçãos será divulgado e enviado a todos os interessados, mas deixamos já ficar aqui a informação de que a formação re-inicia no dia das Missões, a 19 de Outubro, no Seminário de Nª Srª de Fátima em Alfragide.


Este primeiro dia de formação, que se iniciará pelas 9.30, está aberto a todos os interessados em integrar o voluntariado da ALVD. Da parte da tarde, celebra-se o dia da Missões, para o qual estão convidados todos os voluntários e todos os nosso amigos, para conhecer melhor as nossas missões e ouvir o testemunho de alguns voluntários.

Fica, desde já, marcado o nosso encontro para esse dia.

Ficou também definido, que a partir do dia 4 de Outubro, haverá sempre alguém da ALVD presente no Seminário de Alfragide na nossa sala dos livros, todos os sábados, pelo que todos são bem-vindos seja para colaborar na selecção e embalagem dos livros, seja para nos entregar livros para a nossa Campanha de Livros para o Niassa.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Testemunho de um voluntário em Lichinga


Começo este artigo sobre a minha experiência de voluntariado missionário em Lichinga, Moçambique, fazendo uma apresentação de quem sou.

O meu nome é Paulo Lima, sou natural da cidade de Póvoa de Varzim e tenho 25 anos. Trabalhei no ramo de restauração desde os meus 18 anos, começando aos 16 anos a servir à mesa em casamentos e batizados em toda zona norte do país. Contudo, gostando de servir as pessoas e de as ver felizes porque, como se diz, “a verdadeira felicidade vê-se após uma boa refeição”, nunca me senti uma pessoa realizada a nível pessoal, sempre senti que podia dar mais do que uma boa refeição. Então, em 2012, ocorreu-me uma ideia “porque não sirvo eu o irmão que mais precisa do meu serviço?!”. Após esta ideia procurei encontrar um rumo que me levasse ao que tanto me faltava: uma experiência que me satisfizesse e desse um sentido correcto à minha vida.

Comecei por contactar o Seminário Missionário Padre Dehon em Rio Tinto, seminário que frequentei no meu 9º ano de escolaridade e que me ajudou a perceber o sentido da palavra “Valor”. O Valor que todos temos como seres humanos, independentemente do que fomos e do que somos.  Entrei em contacto com o Irmão José Camacho que rapidamente me direcionou para  falar com o Sr. Padre Adérito Barbosa a quem coloquei todas as minhas dúvidas e intenções e questões relativamente à ALVD.  Esta primeira ajuda por parte deste meu irmão e amigo José Camacho foi muito importante na minha vida.  Após o contacto com o Pe Adérito Barbosa, logo entrei na Associação participando em actividades e formações, embora sinta que falhei algumas vezes faltando a algumas formações por causa dos meus empregos, foram formações muito importantes e que me ajudam bastante para não me “perder” por cá em Moçambique e são agora o meu guia nunca me afastando dos seus ensinamentos e colocando sempre em prática o que aí aprendi.

Após 2 anos de formação chegou o momento de passar à prática e partir em missão. Em Agosto, parti para uma experiência de voluntariado missionário em Lichinga,  capital da província do Niassa, no norte de Moçambique. Aguardava-me trabalho a nível Pastoral, com crianças duma escolinha, com um grupo de jovens juntamente com Irmã Maria José e em 2 bibliotecas, uma na casa da Diocese de Lichinga e outra no centro Pastoral também cá de Lichinga.

Está a ser uma óptima experiência, estou a gostar bastante mais do que pensava vir a gostar e já sinto que futuramente terei que fazer uma outra Missão, mas desta, se tivesse oportunidade, gostaria que fosse em Angola.

Esta experiência está a mostrar-me muitas novas coisas e estou a aprender bastante. Os primeiros tempos têm sido um pouco complicados, a mentalidade do povo é muito diferente da que estava habituado em Portugal e noutros países europeus, mentalidade esta que proporciona, por vezes, momentos cómicos. Logo no meu primeiro mês por cá reparei que as pessoas não são capazes de seguir o estimulo do cérebro e aplicá-lo com as suas próprias mãos. Problemas simples, mas em vez de simplificarem, complicam ainda mais. Noto bastante isso a nível tecnológico: apesar de terem boa tecnologia existe uma grande falha na formação profissional, deste modo qualquer avaria não se repara, apenas se abandona. Também reparei que há bastante desperdício por parte de muitos trabalhadores, por exemplo ao nível das instalações eléctricas, não são capazes de fazer cabos com uma medida próxima do necessário, deixando muitas vezes metros e metros de cabos enrolados nos postes. Cabos estes que dariam para muita coisa mas acabam por virar desperdício ficando nos postes ao abandono em vez de os usarem noutros postes e noutras casas.

Mas também vejo por cá muitos aspectos positivos tal como a união dos jovens. É algo que me alegra ver todos os dias os jovens unidos em diversão e alegres a vir da escola ou a ir para missa, também vejo um espírito de entre-ajuda que já não é habitual na nossa sociedade, as pessoas ajudam-se mutuamente não conseguindo ver um irmão mal.

Está a ser uma experiência muito grande e importante para mim. Sinto que estou a aprender bastante mais do que aquilo que estou a conseguir ensinar, não só com o povo mas mesmo com as pessoas ligadas à diocese com quem lido diariamente.  Pessoas que não irei esquecer e que  se estão a tornar cada vez mais valiosas para mim. No dia em que regresse ao meu país irei sentir muito a falta das suas presenças na minha vida, do convívio, dos risos e da sua ajuda pois todos  os dias, nesta que é agora a minha casa, a casa da Diocese de Lichinga, me sinto acolhido e seguro com estes meus irmão e irmã que um dia me irão fazer muita falta e deixarão muitas saudades disto tudo.

Acabo este meu artigo agora pois não sou muito bom a expressar-me por escrito mas, tal como uma pessoa especial, que me pediu para escrever, me disse: “escreve o que te vai na alma”. Bem ou mal eu escrevi tudo o que cá dentro tenho guardado sobre Moçambique e  como ainda tenho mais meses para guardar cá dentro, quem sabe voltarei a escrever um novo e mais completo artigo. 

Paulo Lima

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Missão Angola 2014 – 11 de Agosto de 2014

Notícias da semana de 6 a 11 de Agosto de 2014 – LUAU  (Angola)


Já passaram 9 dias desde a nossa chegada ao Luau e podemos dizer que temos vivido uma montanha russa de sentimentos e emoções. Por um lado sentimo-nos acolhidos e apreciados na nossa presença aqui, através das palavras que nos são dirigidas, dos cumprimentos, das perguntas que nos são feitas acerca das formações e dos sorrisos de quem se cruza por nós. Por outro, vemos que temos muito trabalho pela frente, e que o tempo não chega para tudo o que gostaríamos de fazer. Sentimos que precisávamos de pelo menos um mês para nos adaptarmos a esta realidade, aos costumes e à maneira de comunicar com o povo. Mas não o temos, por isso consciencializámo-nos que só vamos conseguir fazer aquilo que o tempo, o corpo e os materiais permitirem. Se pensarmos bem, o pouco que vamos deixar, ou dar no temo que cá estivermos, já é muito para eles. Aqui, sentem muito a necessidade de amor, atenção e, principalmente, de alguém que os escute.

O nosso trabalho tem sido valorizado e tem dado alguns frutos. As aulas de informática estão a começar, mesmo sem os computadores. Hoje concluímos os testes de admissão no curso (porque as inscrições foram muitas e não há lugar para todos). O David e o Marco tiveram a árdua tarefa de limpar e arranjar a sala onde será o curso, que até então era ocupada por amigos roedores, que vagueavam pela sala.

Quanto ao curso de professores tivemos hoje a primeira aula, sendo que se inscreveram cerca de 10 professores e só apareceram 3 deles. Estamos apreensivos quanto ao seu sucesso, devido à dificuldade deles em entender o português. Mas mais tarde, damos notícias.

 As aulas de Karaté da Rita Glória têm sido um sucesso. Começámos uma turma de adultos que já praticavam Karaté nas comunidades de Luau, e que por isso solicitaram algum apoio da nossa parte. Nós, dentro do tempo que temos, dispensamos umas horinhas por semana para treinar com eles.

Sentimo-nos verdadeiramente ambientados com o povo do Luau, passamos na rua e acenam-nos dizendo: “Olá Irmãs, Olá Irmão” (sim, porque aqui todos julgam que estamos a estudar para freiras e para padres).
 Já na visita ao Congo, dia 09 de Agosto, a perspetiva foi um bocadinho diferente. É realmente um país muito pobre. O mercado é mil vezes pior do que os que temos visto por aqui: o que chamam em Portugal de Talho não existe, a carne está exposta ao sol, à poeira e às moscas, e a cabeça do animal encontra-se intacta ao lado, para se ter a certeza que estamos mesmo a comprar porco ou cabrito; O sentimento de segurança também é diferente, as pessoas armada na rua multiplicam-se, e ouvimos dirigirem-se a nós em idiomas que não entendemos. Íamos com a intenção de comprar as tão-famosas capulanas do Congo, mas
acabámos a comprá-las no mercado do Luau, que já nos começa a ser muito familiar. Regateámos o preço e acabámos por trazer capulanas muito giras e coloridas.

As mamãs cá de casa (cozinheiras) são muito simpáticas e divertidas, e pedem constantemente a nossa ajuda na cozinha. Cá não existe o conceito de cozinha variada, e nos primeiros dias vim-nos a comer arroz com cabrito ao almoço e ao jantar. Por isso, tentamos ensinar novas receitas e métodos de cozinhar: agora o que preferem fazer é frango na brasa!
Por falar em comida, ontem, dia 10 de Agosto, fomos jantar a casa das irmãs (Rosa, Amélia e Assuntina). A comida estava divinal e até fizeram melhor pizza que os italianos (palavras do Pe. Daniele). Divertimo-nos imenso: cantámos (o hino da missão), rimos e até deu tempo para uma sessão de fotografias para mais tarde recordar.



Já não há muito mais a dizer. Apenas que estamos todos bem de saúde e que temos muitas saudades de vocês. Beijinhos a todos e até breve,

Rita Sousa, Andreia, Rita Glória e David